CAMPO ARGUMENTATIVO
A noção de «campo argumentativo» foi introduzida por Toulmin e remete
para a
visão especializada dos saberes, para as fronteiras entre as
diferentes disciplinas e para a especificidade da linguagem e das
metodologias de cada domínio. Trata-se de um conceito que liga a
argumentação à retórica própria das disciplinas científicas (ou dos jogos de
linguagem típicos de certos temas) que se assumem como autoridades no
próprio domínio. A noção de «campo argumentativo» remete para a ideia
de que as avaliações das argumentações dependem muito dos critérios
dos fóruns em que decorrem, os quais, aliás, determinam em grande
medida a aceitabilidade dos argumentos.

Perelman utilizou também a expressão «campo da argumentação» não
para se referir a campos de conhecimento, mas para distinguir duas
formas de pensar: à primeira, caracterizada pelo ideal de
demonstrabilidade (demonstração), opôs a ideia de razoabilidade 
(argumentação), essencialmente ligada ao raciocínio prático, à deliberação
e à ação através do discurso. Destacou, por contraposição à ideia de
raciocínio lógico e matemático, que, no plano da argumentação, o
pensamento procede essencialmente através de dois mecanismos
fundamentais: a associação e a dissociação de noções.

Uma outra noção de «campo argumentativo» pode ser também referida
tendo em consideração a utilização do
raciocínio axiológico, ou seja, de
um discurso que estabelece
preferências que configuram pontos de vista
e posições específicas sobre um assunto em questão. Podemos assinalar,
por exemplo, o raciocínio causal (ou seja, que relaciona causa e efeito)
como uma forma de explicação. Mas a apropriação dessa explicação em
função do estabelecimento de uma determinada posição conduz-nos ao
registo argumentativo. Como nota Plantin (1996: 46), neste caso «o argu
mentador está na causa que constrói». O recurso a explicações que
funcionam como argumentos com vista a estabelecerem o ponto de vista
específico da perspetiva do argumentador acerca de um assunto em
questão significa, assim, que nos deslocámos para um campo
argumentativo, podendo este ser considerado, precisamente, como o
domínio dos
assuntos em questão onde se regista um conflito de
perspetivas
.

Rui Alexandre Grácio
 
VocAbulário
 
© Rui GrÁcio 2015