KAIRÓS
No campo da retórica a noção de kairós liga-se ao momento oportuno
para se produzir um discurso. Na interação argumentativa relaciona-se
com a oportunidade mais apropriada para produzir um turno de palavra. É
um elemento essencial na força do discurso e na força persuasiva dos
argumentos, podendo ser determinante, por exemplo, na ordem da
apresentação destes. Se é suposto que os argumentos sejam elaborados a
propósito daquilo que está em questão e dos discursos dos participantes, a
sua eficácia é aumentada pelo impacto que causam por serem ditos no
momento em que se ajustam compactamente com o que está a ser
focalizado no momento.

A dimensão kairológica das argumentações, remetendo sempre para a
iniciativa argumentativa relativamente às circunstâncias e aos diversos
momentos do desenvolvimento de uma interação, está intimamente ligada
à ideia de argumentação como arte prática na qual a dimensão do
improviso não pode ser substituída por qualquer discurso planificado. É
uma das noções que faz resistir qualquer tipo de argumentação a uma
consideração meramente formal, pois faz intervir uma variável que é
situacional e circunstancial: é preciso «estar lá». Em termos de
argumentação a noção de kairós associa-se, pois, ao «sentido de
oportunidade» e revela-se como uma das competências essenciais nos
procedimentos argumentativos, uma vez que há sempre limitações
temporais que constrangem e delimitam as interações reais.


Rui Alexandre Grácio
 
VocAbulário
 
© Rui GrÁcio 2015